Este blogue tem conteúdo adulto. Quem quiser continuar é risco próprio; quem não quiser ler as parvoíces que aqui estão patentes, só tem uma solução.

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Passagem de ano

Este ano vai ser diferente, para repetir a passagem anterior.


quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Escritos

Não perguntes o que desejei para esta época, pois tu, mais que ninguém, sabes quais foram as minhas preces. Os dias passaram e de dentro de todo o nevoeiro nada mais saiu que gotas de água. Desejei que tudo acabasse rapidamente. Pedi aos céus que tornassem esta espera num resultado final.

Aqui fiquei, esperando as boas novas. Esperando a missiva que explicasse o deserto que sentia à minha volta. Aquela música melancólica teria assim, ao ritmo dos meus desejos, uma letra... talvez só ouvida pelo meu interior. Para os outros o silêncio completo. Porque eles não entendem. Porque eu não entendo.

Desejei que todo o tempo fosse consumido, como se se tratasse de combustível. Pedi que a luz me abandonasse e que o escuro envolvesse o nosso mundo. Oh tristeza tamanha... oh infortúnio... oh desgraça das desgraças.

E quando me dizem que é altura de avançar, de viver uma outra história, eu fujo. Sim fujo, daquelas infames vozes, dos sons que povoam todas as células da minha memória, que me embriagam e me levam ao terror que é viver sem ti.

Volta eu te perdoo, volta.

Volata que apagarei todos os maus momentos, todos os terríveis pensamentos... volta. Porque só tu me completas. Porque és tu a fonte da vida, a razão que me faz avançar em direcção ao precipício. Esse precipício onde só nós iremos ser felizes.

Vamos terminar esta história juntos. Vamos mostrar ao mundo que há muito para viver. E só assim poderemos cair no esquecimento. Memórias apagadas. Memórias mortas. Memórias jamais recordadas. Será o nosso mundo... só nosso.

(algures junto ao mar, 26-XII-2012)


quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

NÃO DEIXE O AMOR PASSAR

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida.
Se os olhares se cruzarem e, neste momento,houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.
Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d’água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.
Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente: O Amor.

Por isso, preste atenção nos sinais - não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: O AMOR.

Carlos Drummond de Andrade

domingo, 9 de dezembro de 2012

Dar

Já admiti diversas vezes que sou forreta. Não gasto para amealhar mas sim porque gosto de cometer os meus "pecaditos" consumistas e pagar de uma só vez. Graças a Deus que tenho uma forma de sustento sem precisar de recorrer a terceiros.

Muitos neste momento não compartilham da mesma sorte. São tantos aqueles que ao fim de tantos anos de trabalho, árduos até, que se encontram em dificuldades financeiras. As reformas que não chegam. Os ordenados que não são embolsados devido ao desemprego. os subsídios que vão decrescendo.

Felizmente ainda existem neste país associações de ajuda. São essas instituições que fornecem o que falta em muitos lares do nosso pequeno rectângulo luso. Instituições que contam com quem é generoso e que estão dispostos a ajudar os outros.

O Banco Alimentar é possivelmente uma das mais importantes associações de solidariedade social do nosso país. As dávidas dos portugueses, nas campanhas de recolha de alimentos, são distribuídas por todo o país.

Aconteceu nos passados dias 1 e 2 deste mês mais uma recolha. Este ano, talvez por ver que o futuro é cada vez menos brilhante, decidi ser generoso. Melhor ainda, veio-me à alma que o azar pode bater à porta de qualquer um... até a mim... nunca se sabe.

Acedi ao sítio do Banco Alimentar e fiz uma doação. Através daquele espaço há a oportunidade de doar cabazes alimentares (penso que acabou hoje), compostos por diversos bens de primeira necessidade, ao preço de €10,65 cada (não vou dizer quantos doei).

Senti-me um pouco melhor após efectuar o pagamento pelo multibanco. Foi só um acto simbólico da minha parte mas pelo menos haverá quem beneficie.

Sim, sou forreta. Mas pelo menos este ano, a forretice levou-me a contribuir com algo de bom para o próximo.




terça-feira, 4 de dezembro de 2012

O mundo além nós

Tentem circular nas nossas ruas com os olhos vendados.

Tentem circular nas nossas cidades numa cadeira de rodas.

Nem imaginam o quão assustador é.


segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Sweet November

Eu sei... o nome do filme refere-se a mês anterior.

Novembro é um mês que me agrada. Por ser o mês em que a minha mãe celebra o aniversário. É um mês com trinta dias (adoro números pares). É o mês em que se cumpre uma das mais bonitas tradições católicas, o dia de finados. Este Novembro tem sido particularmente interessante. Tem-me lembrado outros Novembros, chuvosos, frios.

Dentro de menos de um mês estamos na quadra natalícia. Aquela época chata e consumista. Muito além da verdadeira tradição cristã, com que fui criado e que mantenho por convicção. Apesar de investigações recentes darem como provado que Jesus nasceu numa outra altura completamente diferente (17 de Abril). É uma tradição secular, que moldou o mundo que temos. Que criou coisas boas e outras más - o trivial.

O mês que se aproxima a passos largos será apenas mais um neste ano de incerteza. Mais incerto ainda será o novo ano. Mais desemprego. Mais cortes. Aumento de impostos e outros descontos. Novas formas de nos irem aos bolsos, mesmo àqueles que quase nada têm.

Dizem algumas premonições que o mundo acaba este ano. Talvez o mundo já tenha acabado e não tenhamos dado ainda por isso. Estamos tão preocupados com tantas coisas desinteressantes, que esquecemos completamente de olhar além do alcance na nossa vista. Interessa mais um novo telemóvel com funções que nunca serão usadas, que a verdade que nos envolve (piada pessoal).

Dirão os entendidos que deverei parar de divagar. Dou-lhes completa razão, mesmo que a razão nem sempre esteja do lado correcto. Novembro aproxima-se do fim. Outros Novembros serão vividos. Isso sim é o que importa.

Dedico esta mensagem ao meu velho amigo Helder. Agradeço por ter aparecido no meu caminho e se tenha tornado um óptimo confidente. Não desfazendo dos outros.




sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Só para relembrar...

... que o blog já teve acima de 6 mil visitas.

Nada mau para esta casa que não tem muito interesse.

Obrigado visitantes... e amigos.


quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Novas experiências

Viver e aprender

É este o lema de muitos. Lema que preciso cada vez mais de aplicar a mim mesmo.

Decidi encontrar um novo passatempo. Há bastante tempo que ando a pensar na pintura. Não que eu tenha grande jeito... ou pelo menos não acho que tenho. Talvez porque considero uma actividade interessante, puramente do ponto de vista amador.

Escolhi a pintura a óleo. Não me perguntem o porquê, pois não sei responder. Talvez por achar que é a que melhor se adequa às minhas perspectivas artísticas (riso). E talvez porque as telas brancas das lojas dos chineses me tenham inspirado para seguir essa técnica.

Foi nas lojas dos chineses que optei também por adquirir o material necessário. Assim, se a coisa não der, pelo menos o investimento não foi tão grande. Pincéis, tintas, paleta, diluentes e solventes. Falta o cavalete mas esse sairá das minhas próprias mãos, produção caseira (ou artesanato). Pode ser que eu goste realmente e passe a investir na qualidade das tintas e pincéis.

Tenho lido sobre o assunto e visto alguns filmes de pintores amadores. A técnica parece ser complicada. mas como não experimentei ainda nada mais posso dizer. Estou a fazer figas para que dê certo, pois assim posso evoluir... e é tão bom evoluir.




domingo, 11 de novembro de 2012

Obrigado

Às vezes é preciso agradecer...

... mesmo sem qualquer razão especial.


segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Inconveniências

Cenário: lar de idosos paroquial.

Tema da conversa: o novo presidente da direcção.

E eis que no meio da conversa:

 - O senhor padre que é o presidente da direcção é novo por cá.
Eu: Não era o padre de tal parte?
 - Não este nunca teve uma paróquia. O anterior também nunca tinha tido antes de vir para cá.
Eu: Realmente só vos calham padres virgens, salvo seja.

hahaha (geral)


terça-feira, 30 de outubro de 2012

Pensamentos

Posso não ter a experiência de vida do João. Sei que a minha cultura não se compara com a do Mark. Não sou viajado como os coelhos. E tão pouco sou aventureiro como o Francisco. E nem salvo como o Cesinha. Nem sequer as qualidades e habilidades de tantos outros eu tenho.

Mas de uma coisa eu sei, ainda há tempo para melhorar.


domingo, 21 de outubro de 2012

Máquina do Tempo - Ídolos I


Gostava que inventassem uma máquina do tempo. Gostava que ela me fizesse viajar atrás no tempo e conhecer algumas pessoas. Pelo menos vê-las, mesmo que não tivesse oportunidade de falar, de trocar impressões.

Começo hoje por um dos maiores declamadores nacionais.


Ao ver um programa hoje no canal memória da RTP, tive a oportunidade de revê-lo uma vez mais na caixa mágica. Foi um dos pioneiros da televisão em Portugal. Foi também actor de cinema e teatro, cantor, radialista, amigo, pessoa, etc. E de acordo com os comentários foi bom em todas essas coisas.

A vida só vale a pena se formos relembrados após a morte.
eu mesmo

PS: Dedico esta publicação ao amigo João.




sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Um Ribatejano despassarado

Descobri hoje que a minha "toca" aparece no hall de entrada da toca dos coelhos.


Desculpem coelhos, ando mesmo como o título diz.


domingo, 14 de outubro de 2012

Miscelânias

Definitivamente o verão foi-se embora e as temperaturas outonais invadem o meu espaço. Já não sabe bem andar pela casa de calções e as calças passam a ser a indumentária necessária.

Acabou mais um fim-de-semana... um pouco diferente dos outros. Não pela chuva mas pela oportunidade que me surgiu de me perder pela nossa capital. Sábado de tarde e lá me embrenhei pelas ruas alfacinhas em busca de caminhos desconhecidos.

As conversas continuam a fluir, vindas directamente do mundo para o meu computador. Impressionante o número de desconhecidos que povoam as minhas listas de contactos. Tantos são aqueles que nunca conhecerei pessoalmente, não por não querer, mas porque estão tão longe. Tão longe que só me transformando em pássaro os poderei alguma vez enfrentar.

As notícias são sempre as mesmas. Crise. Finanças. Governo. Dificuldades. Famílias desempregadas. Orçamento. Troika. Como se no nosso país mais nada se passe. Mesmo no meio de tanta incerteza há sempre a esperança de encontrar um pouco de alegria. Um desafogo.

Espero uma semana profissionalmente agitada. Como se eu pudesse substituir um chefe que se encontra de férias. A verdade é que o tempo de serviço traz mais do que cabelos brancos. Traz uma responsabilidade que não é recompensada. Especialmente quando o bolso é cada vez mais pequeno, pois mais pequena é a quantidade de recurso que lá chega.

Pessoalmente? Isso é outra história e este blogue não tem memória suficiente para aguentar com toda a informação. Apenas uma leve esperança... talvez.


sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Só me apetece...

... bater com a cabeça na parede!


Mas que raio se passa comigo?!


sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Desisto...

... estou farto!


Vou é tratar do jantar.


sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Porque...

... é que sempre que quero cozinhar algo novo me faltam sempre ingredientes.

Hoje vinguei-me, crepes ficam igualmente bons mesmo não levando leite.

Mai nada!


domingo, 23 de setembro de 2012

Pormenores

Trabalho

A crise levou-me uma boa parte do trabalho. Sinto falta daquela pressão a que estava habituado. Agora quanto menos faço maior é a vontade de menos fazer. Não é preguiça, é apenas desmotivação.

Verão

Chegou ao fim oficialmente. Gosto do Outono pois é nesta época que o tempo fica mais fresco. A chuva faz maravilhas e é-nos tão necessária. Ok, não preciso que chova já amanhã, nem durante a semana, mas quero que venha, pois o pó já chateia.

Casa

Aos poucos lá vou terminando o que à muito estava em espera. Posso assim pensar em novos projectos, em novas ideias, em formas de ocupar o tempo disponível que irei ter.

Vida

Contínua na mesma. Casa-trabalho-casa-trab... O caminho é sempre o mesmo. A rotina não tem desvios. E quando abro a porta de casa, está o espaço à minha espera... apenas o espaço.

Amigos

Quanto baste. Embora muitas vezes ache que preciso de mais. Mas no final chego sempre à mesma conclusão: não há tempo para todos... ou simplesmente não os há.

Amor

Palavra de quatro letras que no sentido inverso resulta numa capital europeia, uma das mais bonitas do velho continente, embora nunca tenha lá estado para comprovar. Nas palavras cruzadas pode significar o nome de uma fruta, que tanto gosto, uma vez que não se usa acentuação. Pouco mais há a dizer.

Internet

Busca incessante por novas ideias, pessoas, temas. Infelizmente a política invade os locais que gosto de visitar, como se mais nada houvesse para contar. As mensagens são sempre iguais. A publicidade sempre sem interesse.

Ribatejano

Contínua na mesma como a lesma, já diz o velho ditado. Nú... à espera que algo aconteça.


quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Precisa-se



Inspiração




terça-feira, 11 de setembro de 2012

Novidade

Desde que tomo as minhas próprias opções de vida, que a praia está fora delas. Nunca achei muita piada àquela quantidade de água, ainda mais sabendo que nunca a conseguiria controlar. E o caso de quase me ter afogado à 20 anos atrás, fortaleceu ainda mais essa vontade de lá não voltar.

Gosto do mar e da costa portuguesa, mas não me via a atirar-me às ondas. Além do mais, como sempre vivi em sítios cujo risco de inundação só se for ao estilo Noéniano, nunca precisei de aprender a nadar (acho que já nem sei sequer como se boia (lol).

Acontece que ultimamente o mar me tem chamado. Tem-me atraído a ele. E eu, como menino bem mandado, lá tenho cedido à sua tentação. 


Ontem fui à praia e estive lá quase uma hora a molhar os pés. Hoje voltei ao mesmo local e as horas multiplicaram-se. Levei um livro que há muito está para ler e o meu caderno de apontamentos, para anotar as ideias malucas que vêm à mente. Aproveitei ainda para me banhar naquele imenso Atlântico, que tanta importância teve, tem e continuará a ter para este velho rectângulo luso.

Talvez uma das maiores mudanças recentes na minha vida. Como se tivesse necessidade de reiniciar novos momentos. Sentir novas sensações. Sei lá... ser/ter um novo eu.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Não desapareci

Estou apenas de férias!


terça-feira, 21 de agosto de 2012

Carta

Meus dias continuam iguais. No trabalho vejo as mesmas pessoas. No caminho o habitual casario, cujas moradas nem sempre alojam quem quer que seja. Mal roda a chave na fechadura, volto ao meu mundo particular. As paredes, que mantenho quase imaculadamente brancas, protegem o verdadeiro "eu".

Ligo o rádio e tocam as velhas músicas, na mesma estação de rádio que ouço por todo o lado. Mudo para o disco compacto e volto a ouvir as melodias e letras já decoradas. Já nem ligo a televisão. Já não vejo filmes, tão antigos ou quase, quanto as músicas que ouço.

A única ligação ao mundo é virtual. É nesse universo que me torno diferente, apesar de sermos por lá, praticamente todos iguais. Crio nomes, perfis, ideias, sonhos e uma vez por outra, algo que se pode assemelhar com sentimentos. Não conheço quase ninguém mas estranhamente, quase não consigo viver sem elas.

Bastam pedaços de imagem, sons quase irreconhecíveis, palavras quantas vezes abreviadas e até dialectos diferentes. Tudo é importante quando o desejo de comunicar é muitas vezes levado acima das necessidades mais básicas.

É a esperança de encontrar, que me faz ansiar tais momentos. Procuro o desconhecido e tal como na vida real, reencontro tantos pelos mais recônditos cantos desse mundo virtual. Mudam os nomes, mas os utilizadores não mudam. Sei quem são, pois tantas vezes já ti aqueles discursos corriqueiros.

Neste momento, em que escrevo estas palavras, estou afastado.Ainda consigo separar os dois mundos. E o real é ainda tantas vezes tão agradável que o preciso de sobrepor aos meus desejos e ânsias. Por outro lado desejo que o tempo passe e eu corra para o virtual e publique os meus escritos.

De nada me servem que fiquem guardados num qualquer arquivo, à espera que alguém um dia os encontre. Já que o virtual existe, há que explorá-lo o mais possível. Pois manter os dois mundos intocáveis é cada vez mais difícil, mas não é impossível.


quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Estou farto

De trabalhar com loiras... principalmente as mentais.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Apenas...

... um almoço importante.

Obrigado


Por me aturarem.



domingo, 12 de agosto de 2012

Escritos

O dia começou aparentemente como outro qualquer. Como se fosse possível os dias serem sempre iguais. Uns tímidos raios de luz entravam pelas persianas semi-abertas. O quarto iluminado parecia até maior naquela manhã.


De olhos semi-cerrados, tentei acordar totalmente e abri-los, mas a luz, mesmo tímida, não queria que eu saísse daquele estado. Lá me esforcei um pouco mais e venci a vontade contrária.

A minha posição na cama, deixara-me algo desconfortável. De barriga para cima, tronco destapado e o lençol quase vincado mais abaixo. Ainda por cima centrado na cama?

Olhei em redor e o quarto estava diferente. Quadros novos. Nova pintura na parede do fundo, onde antes, túlipas e orquídeas decalcadas, alegravam o espaço. E na mesinha faltavam as flores, apanhadas diariamente no jardim. O tabuleiro, o usual tabuleiro do café da manhã era mais uma peça ausente. E pela janela não entrava o som dos pássaros que pousavam habitualmente na varanda.


Foi então que me lembrei que aquele não era o meu quarto. Que os lençóis não tinham o cheiro habitual. Que a cama era maior que a minha.

Raios, esqueci que estou de férias e este é apenas um simples quarto de hotel.


PS: na realidade ainda não estou de férias, mas seria uma boa forma de gozá-las... diferentemente...


segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Brasil

Perguntaram-me de novo hoje se estou interessado em ir trabalhar para o Brasil.

Além da questão linguística, será mais fácil por lá? Poderá lá morar parte da minha felicidade?

Raios...


sábado, 4 de agosto de 2012

Eu sei

Que já estamos num novo mês e que as minhas mensagens têm tardado.

Só esta semana consegui acabar duas mensagens que espero publicar.

Não me esqueci de quem acompanha o blogue, mas tirei a semana só para mim.

Abraços a todos!


terça-feira, 31 de julho de 2012

Fados




domingo, 29 de julho de 2012

Água

Esta semana bebi litros dela.


quarta-feira, 25 de julho de 2012

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Longe

Habituei-me a ver-te ao longe. Talvez receando o nosso encontro, talvez achando que não combinamos. Minto a mim próprio. E ao longe contínuo a ver os outros irem ao teu encontro, envolvendo-se em ti e tu a corresponderes. Volto uma vez mais para trás, escondendo-me.

Sinto saudades tuas quando permaneço longe. Nesses dias, sinto uma vontade enorme de perder a vergonha e ir ao teu encontro. Sentir-te nos meus braços e o teu cheiro peculiar. E que me sintas de igual modo.

Uma vez mais não tive coragem e fiquei de fora, a ver os outros. Imagino quantos gostarão de ti e invejo-os profundamente. Principalmente aqueles que não te receiam, mesmo nos dias em que te encontras mal disposto.

Não sei viver sem ti e no entanto mal nos conhecemos. Mas virá o dia, que ultrapassarei todos os meus receios e vergonhas. E talvez possamos, finalmente, ser felizes.

Adoro-te mar.


domingo, 22 de julho de 2012

Coros

Adoro


sexta-feira, 20 de julho de 2012

Triste

Triste é acordar todas as manhãs e não perceber que não sou feliz.


quarta-feira, 18 de julho de 2012

Questão

Porque é que se encontra mais rapidamente a solidão que um grande amor?


segunda-feira, 16 de julho de 2012

Uma semana doente...

... e já conto com quase 5 quilos a menos.

Saiam outros 5 que não me fazem falta alguma.

sábado, 14 de julho de 2012

Livrei-me de ti

Livrei-me de ti finalmente. Se no início me trouxeste coisas boas, foste-te tornando um fardo na minha vida.

As pessoas perceberam que cresci quando comecei a andar contigo à vista de todos. Mais tarde todos acabam por dizer que não combinamos.

À noite gosto de sentir os teus carinhos, a tua fofura, mas ultimamente tornaste-te rígida, desconfortável.

Já não aguentava mais a tua companhia. O desconforto diário adensava-se. Comecei a acreditar nos comentários dos outros. Tinham razão.

Assim tomei a decisão à tanto tempo desejada. Cortei as amarras e dispensei a tua companhia.

Mas um dia voltarás e tudo começará de novo. Querida barba, a nossa relação amor-ódio acompanhar-nos-á por muitos anos. Assim Deus queira.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

O pior de...

... estar doente é estar "preso" em casa e não poder sair.

Já estou farto. Já não aguento ver mais filmes (aproveitei para ver a trilogia do Senhor dos Anéis). Já não aguento ouvir música. A internet já me aborrece.

Já não tenho febre, nem dores na garganta e as do corpo já quase desapareceram. Agora esta neblina que sinto dentro da cabeça é que é o pior. Parece que estou constantemente numa bolha de ar, a pairar, longe do chão. Odeio esta sensação. Odeio sentir-me assim.

O pior de estar doente... é estar mesmo doente.

domingo, 8 de julho de 2012

Aviso

Não publiquem todos os meus comentários.

Considerem-se avisados.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Blogosfera

Numa das minhas buscas blogosféricas (acho que inventei uma palavra), dei com esta pérola:

Como se curar...

Não sei se devia rir, se devia chorar... o certo é que chorei a rir.

terça-feira, 3 de julho de 2012




falta
 s. f.

- Puseste a escova de dentes?
- Não... vou buscar.
- E o pente?
- Pois, aproveito a viagem à casa-de-banho.
- Os comprimidos para o enjôo, onde estão?
- Acho que no armário da cozinha... ainda...
- Vai lá buscar, que enjoas sempre na viagem. E o passaporte e restantes documentos?
- Xiii... já me esquecia.
- Ai cabeça. E as chaves da casa?
- Estão algures, acho eu.
- Quando é que pensas em fazer uma lista?!
- Na próxima viagem. Ajudas-me?

----- // ----- // -----

- Escova de dentes? Está. Pente? Também. Comprimidos? Uma caixa completa. Passaporte? Com foto nova. Chaves? Estão na porta. Lista verificada, tudo no sítio. Se bem que acho que há algo em falta... pois, esqueci-me... faltas tu.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

ausência 

s. f.


Os meus lençóis têm saudades de ti. O teu cheiro, antes tão bem entranhado entre os fios do tecido, já quase não se sente, resultados das lavagens constantes.
A almofada, aquela onde pousavas a cabeça, já não apresenta o feitio da tua cara nela impressa.
A tua metade do colchão está vazia.Sinto falta de encontrar os teus lábios quando me virava na cama. Também os meus lábios sentem saudade dos teus. Daqueles maravilhosos momentos, húmidos, carnudos, sensuais.
Os meus cabelos já não sentem os teus dedos. Adormecia com eles a dedilharem o meu couro cabeludo. E quando acordava mais cedo, retribuía as carícias, até despertares do teu estado de ilusão.
Minhas pernas já não se entrelaçam nas tuas. Agora só encontro espaço vazio. Meus braços já não te prendem e já não te acariciam minhas mãos.
Tudo está diferente, só eu permaneço o mesmo. Aqui, só, sonhando com uma volta que não acontecerá.
Os meus lençóis têm saudades de ti... e eu aqui.

01-07-2012

sábado, 30 de junho de 2012

Contos inacabados

Saí cedo do trabalho e voei para casa;

Quero ter tudo pronto para quando chegares.

Distribuí as velas de cheiro e as flores trazidas do mercado,

Coloquei a toalha de mesa nova,

O novo conjunto de louça,

Aqueles copos que não querias que eu comprasse,

Mas que tanto adoras.

Na cozinha preparei um jantar dos Deuses;

O teu prato preferido, com as ervas certas, com os cheiros correctos.

Abri aquele vinho especial, que foi oferecido no Natal.

Agora é tempo de tratar de mim;

Para começar um banho, quero deixar na água o dia.

Quero passar para a noite completamente refrescado,

Só para ti.

Vesti aquela roupa que me esconde,

Mas que deixa adivinhar tanto… tu sabes.

Passei aquela fragrância, que utilizo em ocasiões especiais;

Sim, esta é muito especial.

Com tudo preparado, acendi as velas e esperei por ti.

Ouvi um carro a chegar, as dobradiças do portão do jardim a rangerem,

A chave a rodar os trincos da fechadura… e eis que te vi.

Cansado me parecias, mas ficaste espantado quando me viste,

Com todo aquele aparato na sala… ficaste em silêncio.

Levantei-me e fui até à tua boca, toquei os teus lábios com os meus.

Disse-te para te livrares do dia e colocares a roupa que estava em cima da
cama à tua espera.

Fui buscar o vinho e servi-o para nós dois.

Não demoraste muito, ainda bem; muito se há-de passar esta noite.

Estavas diferente, muito mais interessante, com aquele sorriso que me derrete.

Vieste até mim, pegaste no copo e elevaste-o até à tua boca.

Beijaste-me, deixaste sentir o sabor inconfundível daquele vinho alentejano,

Já me deixas louco… não, não partas já para o meu pescoço…

A noite ainda está para começar… há tempo.

Durante todo o jantar os teus olhos não saíram de cima de mim,

A cada garfada senti o teu desejo, cada gole de vinho, a tua volúpia.

Nem me deixaste levantar a mesa,

Puxaste-me para o sofá, apagaste o candeeiro de pé e deixaste que a sala
fosse iluminada unicamente pelas velas;

Senti-me único… sentimo-nos únicos.

Pousei a cabeça no teu colo e beijaste-me… adoro o gosto dos teus lábios, o
carinho da tua língua.


(...)

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Já falta pouco...

... para te alcançar.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Trocadilhos

Tenho estado a pensar
Receio que tenha razão
Isto de número impar
Ou é bom... ou não

Tenho certo cá na ideia
Risco até outra opção
E não é por ser feia
Sai fora do coração



terça-feira, 19 de junho de 2012

Definições

Horário de verão.

Proporciona-me tempo adicional para as minhas tarefas caseiras. O meu castelo precisa de carinho. Os meus projectos amontoam-se ali na oficina, esperando que eu os acabe. As plantas que precisam de ser regadas e as ervas daninhas arrancadas. Aproveitei para cuidar da sementeira de cabaças que a vizinha, sempre ausente, não cuida. Uma espécie de boa vizinhança.

Sala.

O espaço onde mais tempo vivo, a par da cozinha, claro. Olho as paredes a precisarem de peças de decoração. O quadro que comprei e que nunca veio comigo. O novo projecto que ainda não saiu do papel. A porta do armário já concluída e que dá nova côr. O cantinho a precisar de um toque especial.

Janela.

Olho o exterior. Imagino quantas aventuras poderei ter naqueles caminhos brancos. O verde que se transforma em ouro. As frutas nas árvores a crescerem e a amadurecer. O terreno do vizinho que este ano não foi cultivado, mas que se apresenta com uma alegria verde, sarapintada de amarelo e vermelho, as flores da época.

Computador.

O meu espaço. Motor que me leva além paredes. Entro nas outras salas, mesmo nas mais longínquas. Crio as minhas fantasias. Brinco com as palavras. Ouço outros momentos e outras culturas. E escrevo. Pois escrever é e sempre será, o maior sonho realizado.

sábado, 9 de junho de 2012

Hoje andei...

... pela cova da beira.

Fui à cereja.

Adoro-te Portugal!

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Velhos escritos

Em tempos escrevi assim:

"A vida dos meus sonhos
 Tem tristeza e alegria
 O melhor a acontecer
 Era poder vivê-la um dia"

1998


Passaram 14 anos e já não sei o que escrever.


domingo, 3 de junho de 2012

Sabores

Cresci a ver novelas brasileiras. E novela brasileira que se preze tem um bolo de fubá à mesa ao pequeno-almoço.


Seguindo o espírito da experiência, procurei a melhor e mais fácil receita de bolo de fubá na internet.

Juntei os ingredientes necessários e parti para a aventura. A receita é simples: fubá (farinha de mandioca), farinha de trigo, açúcar, ovos, leite, óleo (usei o que tinha em vez de óleo de milho), fermento. Untei uma forma de furo com manteiga e polvilhei com farinha e coloquei no forno. A receita original dizia cerca de 20 minutos mas a minha mistura esteve quase uma hora no forno.

Não coloco aqui a foto do meu bolo, pois respeito os meus visitantes brasileiros. Além disso, não quero nenhuma queixa em alguma associação protectora do bolo de fubá, se é que me entendem.

Acho que inventei o queijo de fubá. LOL

Foi apenas o primeiro... outras tentativas acontecerão.


sexta-feira, 1 de junho de 2012

Calor


segunda-feira, 28 de maio de 2012

Uma flor para ti


Selvagem... porque todos temos os nossos momentos selvagens.


terça-feira, 22 de maio de 2012

Liberdade

É montar a bicicleta e ter um só objectivo: voltar sempre ao ponto de partida.


Independentemente da distância a percorrer.



segunda-feira, 21 de maio de 2012

Recorrências

Dou por mim a pensar, vezes sem conta, se atingirei o maior objectivo da minha vida.

Quantas são as vezes em que recordo os bons momentos que já não voltarei a viver.

Quem saberá o quanto eu sou importante, quando me recolho nos meus pensamentos.

Onde estarei daqui a vinte anos, sabendo que a vida é cada vez mais curta, contrariando tantas estatísticas por esse mundo fora.

São muitas as questões que invadem os momentos de introspecção. São tantas as respostas que ficam por dar, mas que virão, um dia, na alturas talvez correctas.



E a moral é sempre a mesma, está na altura... está mesmo na altura...

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Quinta-feira de Ascensão




Ou quinta feira de espiga

Pelo oeste é neste dia que se apanha a espiga, simbolo de riqueza.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Estou assim


terça-feira, 8 de maio de 2012

Finalmente


quarta-feira, 2 de maio de 2012

Maio



Gosto de Maio porque:

- é o mês do meu aniversário
- é o mês de Maria
- é o mês em que se comemora o dia da mãe

Não gosto do mês de Maio porque:

- tem 31 dias e eu não gosto de meses com número de dias ímpar



domingo, 29 de abril de 2012

Hoje é...


quinta-feira, 26 de abril de 2012

Literatura

Título

Se soubesses o quanto te amo


quarta-feira, 25 de abril de 2012

25 de Abril

Este dia deveria significar algo para cada português, mas na verdade é que o encanto dessa parte da história já me abandonou.

Muitas mentiras têm sido ensinadas na escola, só porque é mais agradável aos ouvidos do povo. Mas a verdade, quantas vezes escondida, é que foi um golpe militar por questões militares e não por causa da falta de liberdade do povo.

Prefiro gozar o feriado (que até podia ser retirado do calendário em vez do 1º de Dezembro, esse sim um feriado a comemorar a liberdade), em vez de comemorar algo que já não existe.

Sei que vou ser bastante "atacado" devido a esta minha, quiçá parva, opinião. Não faz mal, tenho arcaboiço suficiente.

domingo, 22 de abril de 2012

Às vezes...

... sinto-me assim


Como uma pedra, ali inerte à espera que alguém a pegue e desloque para outro lado.

terça-feira, 17 de abril de 2012

Amanhã lavo isto (TM)

Após muitos pedidos, cá está mais uma receita maluca. O que estava para ser uma espécie de caldeirada de bacalhau, transformou-se num empadão de bacalhau. Eu sei, eu sei, uma transformação impressionante.


Quase saiu mal, pois a minha teimosia impera, por vezes, à minha experiência. Adicionei aquela erva aromática que está no topo da minha lista de ervas a não voltar a utilizar, o tomilho. Não gosto do sabor, pois qualquer quantidade, por mais pequena que seja, estraga o cozinhado. Para reparar a minha teimosia, piquei um raminho de salsa e juntei ao refogado do bacalhau. Já ficou melhor assim.


Para acompanhar servi vinho verde branco, traçado com uma gasosa de boa qualidade, pois ainda relembro a aventura da semana passada (mais uma estupidez).


O título? É uma frase conhecida do cozinheiro profissional Henrique Sá Pessoa, que na RTP2 tinha um programa de culinária. Como já lavei loiça umas três vezes hoje, faço minhas as palavras dele "Amanhã lavo isto"!


(provedor do blogue para os assuntos culinários)


domingo, 15 de abril de 2012

Sexo

Vários visitantes perguntam quando é que me debruço sobre o tema "sexo". Na realidade é um tema tão escrito na blogosfera que pretendo que o meu blogue seja diferente, não publicando nada sobre o assunto.


Por outro lado, gosto do que leio nos blogues amigos ou conhecidos. Gosto das fotografias, dos pequenos trechos de vídeo, das músicas explícitas, das histórias, dos momentos, do que vai no cérebro de cada um. Chamem-lhe simples coscuvilhice ou interesse.


Ou seja, fico a pensar que devo ser um retrógrado neste assunto. Fico a pensar que se publicar mais sobre assuntos "picantes", terei efectivamente mais visitas, mais comentários, mais interessados. Ou então estou a fazer uma grande confusão dentro das minhas células cinzentas.


Não tenho interesse em centenas de visitas diárias. Basta-me uma única para sentir que alguém passa por cá (é claro que tenho muitas provas disso). Basta-me uma única visita para sentir que estas letras arrumadas em palavras, que constituem frases, têm algum sentido para mais alguém.


Não tenho experiências sexuais para relatar aqui. São minhas e não para partilhar perante uma multidão virtual. Não me importo de falar delas, mas perante indivíduos que tenham a oportunidade de o fazer também comigo. Frente-a-frente. Sem rodeios. Sem desconfianças.


Porém às vezes também tenho que ceder nas minhas decisões. Confiar um pouco mais no mundo exterior. Dar aos outros aquilo que gosto de receber. Por isso mesmo reuni com os Provedores e expus o assunto. Confiei nos comentários e conselhos que me deram. É bom ter com quem falar.


Após muita reflexão, decidi tomar a inédita decisão de publicar pensamentos, curiosidades ou pequenas histórias sobre sexo. Porém (existe sempre a outra face da moeda) só a partir de 2022, pois preciso de tempo para me preparar e acho que dez anos serão suficientes (que acham?!).


É meio de Abril, três semanas de Primavera já se passaram, é tempo de criar novos objectivos... novas ambições.


É domingo... que seja bom para todos!!!

quarta-feira, 11 de abril de 2012

In Vino Veritas

Em algumas zonas deste país, media-se a masculinidade pela quantidade de copos de vinho tinto ingeridos.



Vinho é tinto! Já dizia Camões "Já que não há vinho, bebemos do branco".



Alguns dizem que "tinto é vinho, branco é água, rosé é refresco".

Eu cá que não sou grande apreciador de vinhos, bebo o que estiver ao meu alcance, tendo em conta a comida e a época. Tinto bebe-se todo o ano, mas nunca fresco, apenas alguns graus abaixo da temperatura do ar. Branco é bebida que se consome fresca. Rosé também.

Verde é estupidamente fresco. E verde verde (lol), ou seja, o branco, já que o tinto não entra no meu consumo. 



Não bebo vinho como quem bebe água. Gosto de acompanhá-lo com comida, pois estou ciente dos resultados quando consumido sozinho. Gosto de "forrar" o estômago, antes de me armar em "machão". Ou homem, como diziam os antigos.



Abri ao jantar uma garrafa de verde e já está a meio. E hoje é um daqueles dias que... bem... acho que a garrafa meia não fica bem no frigorífico...

Para bom entendedor meia palavra basta.

domingo, 8 de abril de 2012

Clic

Será que quando alguém se apaixona existe mesmo um


ou é apenas uma invenção literária?!

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Às vezes sinto-me assim


Como a água de um rio, que quer chegar ao mar... e no entanto, lá está um obstáculo.


quinta-feira, 5 de abril de 2012

Dia de...


segunda-feira, 2 de abril de 2012

É por ti...

... que eu anseio grande parte do ano.

... que eu me dispo de preconceitos.

... que perco noção do tempo.

     ... que  mudo os meus hábitos.

          ... que passo mais tempo na rua.

               ... que aguento esse calor.


ADORO-TE PRIMAVERA!!!

sábado, 31 de março de 2012

Um dia...

... publico um livro.



Agora me lembro, já participei num. hehehe

Quase...

... uma semana sem publicação?!

Que raio se passará comigo?

segunda-feira, 26 de março de 2012

Mentha spicata

No topo das minha ervas aromáticas favoritas está, sem sombra de dúvidas, a hortelã-comum.


No meu jardim oestino está um pequeno canteiro com esta tão popular erva aromática. Foi trazida do ribatejo, onde à diversos anos tem sido cultivada.

Hoje utilizei-a para temperar uma salada de alface cortada em juliana e tomate, juntamente com um bom azeite, vinagre de sidra e sal (esqueci a cebola).

Por ser um dos meus temperos favoritos, vou dedicar esta publicação aos meus provedores, que me libertaram do jugo da censura (hehehe).



Comunicado (2)

Considerando a avaliação psicológica realizada durante os últimos dias, pela nossa especialista de serviço


 e sendo a mesma muito favorável, decidiu o Conselho de Provedores deste blogue

 em votação com "dedo ao ar" e por maioria, readmitir o Ribatejano.


Comprometeu-se o mesmo perante os Provedores, portar-se bem e deliciar-nos com novas e saborosas comezainas.


A provedoria do blogue


sábado, 24 de março de 2012

Os Provedores lembram...

... que amanhã quando fôr

 da manhã

devem aumentar para 

 da manhã.

É a hora de Verão em Portugal!!!


terça-feira, 20 de março de 2012

Comunicado

No seguimento dos últimos acontecimentos bloguísticos provocados pelo autor do blogue e após diversos avisos, informamos que o Ribatejano está oficialmente suspenso, por tempo indeterminado.


Os Provedores do blogue.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Não tenho qualquer problema...

... em admitir que me enganei.

Aliás, adoro que os outros tenham mais razão que eu, especialmente quando as coisas correm melhor do que prevejo antecipadamente.

Não gosto é de ser continuamente confrontado, após admitir o meu erro. É de uma completa falta de charme.

Dia do pai

Todos os dias em que me lembro do meu pai, são dedicados a ele.



Mesmo não o tendo conhecido.